Rússia: milhares de pessoas protestam contra proibição do Telegram

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

“Exigimos que as autoridades peçam perdão aos usuários do Telegram e a todos os usuários de internet pelo caos criado”, disse no palanque Emilia Slabunova, líder do partido liberal Yabloko

Agência Brasil

Milhares de pessoas participaram neste domingo (13) de um comício de protesto contra a proibição do serviço de mensagem Telegram, que se negou a entregar às autoridades os códigos para decifrar as mensagens dos seus usuários.

“Exigimos que as autoridades peçam perdão aos usuários do Telegram e a todos os usuários de internet pelo caos criado”, disse no palanque Emilia Slabunova, líder do partido liberal Yabloko.

O comício “Pela liberdade de internet”, o segundo realizado na capital russa nas últimas duas semanas, reuniu vários líderes da oposição extraparlamentar na Avenida Sakharov.

O ex-primeiro-ministro, Mikhail Kasyanov, foi além e propôs recorrer ao Tribunal Constitucional para que revogue a decisão de proibir o Telegram, serviço criado por Pavel Durov, considerado o guru das altas tecnologias na Rússia e que está exilado em Londres.

Outra das reivindicações apresentadas no comício foi a libertação de pessoas que cumprem penas de prisão por supostas mensagens extremistas nas redes sociais.

A polícia deteve várias dezenas de ativistas de esquerda e de organizações anarquistas, segundo denunciou o opositor Sergei Udaltsov, líder da Frente de Esquerdas, por exibir cartazes com palavras de ordem não relacionadas com o motivo do comício.

Todos estes atos de protesto foram apoiados à distância por Durov, proprietário do Telegram e fundador da VKontakte, a versão russa do Facebook.

O regulador russo das comunicações, Roskomnadzor, bloqueou dezenas de milhões de endereços de IP com o objetivo de impedir o funcionamento do Telegram, em cumprimento de uma sentença judicial que proibiu o serviço de mensagem.

No seu empenho de fazer cair todos os endereços de IP nos quais o Telegram se refugia para evitar seu bloqueio, o Roskomnadzor prejudicou milhões de usuários e dezenas de grandes companhias de internet como Google, Apple e Amazon.

Os internautas russos se queixam há semanas de problemas para acessar e usar com normalidade o site da Amazon, serviços do Google como YouTube, Gmail, Google Play e Google Drive, e a loja digital de aplicativos da Apple, entre muitos outros.

Mas, apesar de todos os esforços das autoridades russas, o Telegram segue funcionando em todo o país, como deixou claro hoje o líder checheno, Ramzan Kadyrov, que utilizou esse serviço para fazer uma declaração pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×