Cocaína apreendida no Porto do Rio iria para a Bélgica; carga valeria R$ 250 milhões

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Os dois contêineres onde foi apreendida 1,3 tonelada de cocaína, na noite desta quinta-feira, no Porto do Rio, tinham como destino final a cidade de Antuérpia, na Bélgica. Investigadores da Polícia Federal (PF), responsável pela operação em parceria com a Polícia Civil e a Receita Federal, acreditam que a maior parte da droga seria distribuída no mercado europeu. A PF não estimou o valor dos 1.300kg de cocaína pura, mas fontes na polícia indicam que, na Europa, eles poderiam ser vendidos por até R$ 250 milhões. No Brasil, porém, a mesma carga estaria avaliada em cerca de R$ 50 milhões.

A PF ainda apura se, após deixar o Porto do Rio, o navio onde estava a droga pararia em outros pontos da costa brasileira para fazer algum transbordo. A cocaína estava escondida em meio a uma carga de material de construção. Nos contêineres em que o entorpecente foi encontrado, havia várias caixas com piso. As embalagens de cocaína foram envolvidas em orégano, para tentar acobertar o cheiro da droga e despistar os cães farejadores. Já a parte externa dos invólucros exibia a logomarca de uma grande rede internacional de fast food. Ainda não se sabe se esse é algum símbolo referente à quadrilha responsável pela droga ou se tratava-se de outra estratégia para tentar ludibriar as autoridades.

Essa é a quarta grande apreensão de drogas feita pela PF no Porto do Rio em menos de um ano. Duas ocorreram em maio do ano passado, e outra em dezembro — cada uma delas resultando no recolhimento de pelo menos 200kg de cocaína pura. Os investigadores acreditam que a rota marítima passando pelo Rio de Janeiro passou a ser mais utilizada como meio de escoamento pelo tráfico por conta do aumento da fiscalização no Porto de Santos, onde também houve grandes apreensões.

— Estamos fazendo desde o ano passado um trabalho cojunto com a Receita Federal para investigar as quadrilhas que usam o modal marítimo para fazer o transporte de droga para o Rio. Acreditamos que parte dessa carga tenha o mercado externo como destino, mas não podemos descartar que, com o maior controle das rodovias federais em direção ao Rio, parte dessa droga ficaria aqui — disse Carlos Eduardo Thomé, chefe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da PF no Rio.

Os agentes se depararam com a grande quantidade de cocaína durante uma operação que tinha como objetivo encontrar armas, munição e entorpecentes que poderiam estar em trânsito no Porto do Rio. Na vistoria, foram utilizados cães farejadores e equipamentos de raio-X. O trabalho começou ainda no período da tarde e, na madrugada de sexta-feira, contêineres ainda eram vistoriados no local.

O braço da Polícia Civil na ação foi realizado por agentes da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core). As investigações, contudo, ficam a cargo da DRE, que instaurou um inquérito referente ao caso. Posteriormente, como informou o delegado Carlos Eduardo Thomé, será solicitado à Justiça a autorização para a incineração da carga de cocaína.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×